11 de fev de 2010

Capítulo 1

Capitulo 1


-HAHAHA, o Heduardo veio pra cá!
-Não é possível!
Era uma conversa insuportável e eu me sentia excluído no canto de trás da sala, tecnicamente eu só conhecia duas pessoas da sala, uma muito amiga, e um dos maiores inimigos que eu tenho. Na extrema conversa eu só escutei um:
-Oi! – falou com um tom de felicidade e euforia
Eu fiquei calado, afinal não tinha a mínima idéia de quem era aquela pessoa aparentemente ridícula.
-Meu nome é Gabriel. Gabriel Rocha! – não tinha a mínima idéia do que ele estava falando, mas eu continuava calado.
Naquele momento que estava calado ele olhou para mim de uma forma que ele estava pensando que “eu” era retardado. Então ele saiu de perto, o primeiro horário não tínhamos aula, o objetivo da escola era deixar um tempo para os alunos deixarem a suposta “conversa em dia”. Algumas pessoas olhavam para mim de forma tensa, e eu ficava cada vez mais tenso. Naquele momento peguei o único caderno que teria levado e pulei para a última folha. Lá eu comecei a apertar bem forte a caneta, não era de surpresa a folha furou, mas ela não era nenhum balde d’água para vazar água. Como sempre acontece na vida real, uma coisa de rompe, fura, rasga, e nós cada vez ficamos mais destruídos, rabiscados, tampados. É isso! Tampado, assim eu estava me sentindo naquele momento. Afinal de um gordinho na minha frente atrapalhando a ver a professora que estava entrando. Para meu olhar, era uma professora que eu nunca tinha visto. Então todos ficaram em silencio.
-Olá pessoal. Eu me chamo Mariete e sou a professora de história, eu já trabalho aqui á algum tempo e adoro esta matéria. Bom, depois eu falo mais de mim, agora eu queria saber o nome de cada um de vocês.
Depois que ela falou o nome minha mente começou a se desesperar, porque sinceramente, aparentemente ela não parecia ser nem um pouco legal. E eu, praticamente, definitivamente, eu odeio História. Não estava prestando atenção em o que estava acontecendo, só sei que estava escutando uma porção de nomes, e eu nem queria pensar no o que seria aquilo. Depois de algum tempo escutei, Gabriel. Era o menino que estava na minha frente, e era o mesmo que tentou me dar um “oi”. A sala ficou por um tempo parado, o Gabriel virou para mim e falou:
-Vai!Fala!
Eu estava completamente perdido e não sabia o que falar, então a professora disse:
-Vai, fala seu nome!
-Ah! Desculpa Mariete. Meu nome Heduardo e sou filho da Jô. Ela já foi professora daqui...
-Obrigada, é só o nome mesmo!
Não posso usar a palavra “eufórico”, porque isso era uma das poucas coisas que eu estava. Naquele momento meu único desejo, era sair correndo. O colégio não era novidade para mim, mas a turma era sim, uma grande novidade. Gabriel retornou a virar para meu lado e falar oi, mas desta vez acho que seria bom eu falar oi!
-Oi!
-Ah, você fala?
-É!
-Cara, que bom que se a aqui e...
-Ei, não está em uma boa hora para a gente conversar.
Depois de alguns minutos, bateu o sinal, e era o tão esperado recreio, sai correndo, e fui à supervisora. Era a Cleonice.
-Cleonice, eu queria fazer um pedido de transferência de turma.
-Oi Heduardo. Olha bem, eu posso te mudar sim, mas queria que você ficasse uma semana nesta turma, para ter certeza que quer mudar, afinal a gente te mudou para te ajudar.
-Ok! – Eu tinha a extrema certeza que daqui a uma semana eu iria mudar de volta para a minha velha turma!
Eu sabia que essa seria uma semana muito longa, mas isso seria bom para eu conhecer meus professores, como se todos fossem muito legais! Já tinha se passado 4 dias, e a Cleonice que ela poderia me mudar no outro dia. Vamos dizer que nesse dia, tudo teria mudado. Conheci 3 garotas. Luana, Morgana e Isabela. Não tinha a mínima idéia do que eram, tiranossauros fêmeas, cadelas, coalas, mas vistas pelos meus olhos pareciam ser bem legais. Cheguei perto e disse oi, a recepção foi ótima!
-Oi Hedudududuardo! – Eu tinha certeza que ela não era gaga, mas sei que ela adorava puxar um cabelo, ao falar oi, pegou meu cabelo e puxou para baixo, não era acostumado com isso.
As outras duas, ficaram caladas, mas elas começaram a falar quem era quem!
-Oi eu sou a Luana! – Era a pequena garota que puxou meu cabelo
-Eu sou a Isabela! – Em um extremo grito eu escutei da boca da Luana
-É IMJ! Isabela Marques Japaaa! – Não entendi o apelido, afinal ela não era nem um pouco japonesa.
-E eu sou a Morgana!
Passou bastante tempo na aula, foi quando bateu o sinal de ir embora, estava muito feliz, afinal amanha eu estaria na minha velha turma, Rocha estava do meu lado, conversando comigo. Então eu disse:
-Cara, amanhã eu vou sair da turma.
-Nó vei, não sai, é muito bom ter você na nossa turma.
Meu coração se apertou, o que ele teria me falado me deixou apertado, ser se ele está mentindo? Mas não, eu percebi que não, e aquele simplesmente me deixou pensativo e totalmente calado, não seria uma fala normal, seria uma fala de coração, e foi nesse momento que eu simplesmente decidi ficar na turma 62, afinal nunca teria ficado tão feliz na minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário